A escola pública no Brasil começou com a cachaça

Em 1752, a Igreja Católica exercia forte e incômoda influência nas decisões políticas no Brasil, ainda colônia de Portugal. Para coibir essa prática a coroa portuguesa resolveu afastar os padres da função de educar, o que fez minguar o dinheiro que a igreja enviava para a manutenção das escolas. A solução encontrada foi taxar a cachaça e usar os recursos para financiar a nova escola. A ordem era que a cada 30 litros vendidos, 1.500 réis iriam para uma espécie de imposto literário, que foi cobrado durante 79 anos, ou seja, até 1831. Dessa maneira, podemos constatar que a cachaça subsidiou a nascente escola pública brasileira e a manteve por um longo período.

Fonte: Os segredos da Cachaça – 2018

Maurício Carneiro

Maurício Carneiro é engenheiro mecânico e de segurança do trabalho. Especialista, estudante e apreciador de cachaças. Colunista de cachaças da CBN Paraíba, com a coluna Confraria do Copo. Proprietário do blog Rótulo Brasil, onde trabalha pela valorização da nossa bebida nacional.

Menu